Temática Indígena no Fronteira: participação de Vincent Carelli e Rita Carelli, pai e filha, em homenagem à Virgínia Valadão (In Memorian)

10/03/17

Corumbiara (2009), Martírio (2016) e Yãkwa: o Banquete dos Espíritos são obras que fazem parte do programa do Festival.

 A terceira edição do Fronteira Festival do Filme Documentário e Experimental começa em poucos dias (de 16 a 25 de março de 2017), em Goiânia. Entre as suas Mostras fixas, que acontecem em toda edição, está o programa chamado Cineastas na Fronteira, que esse ano leva o nome de Vicent Carelli e Virgínia Valadão (In Memorian).

 

Ambos - ela antropóloga e ele indigenista e fotógrafo - são criadores do Projeto Vídeo nas Aldeias (VNA), existente há 30 anos, precursor na área de produção audiovisual indígena no Brasil. Vincent Carelli estará presente em todas as sessões de seus filmes durante o Fronteira e participará dos debates após cada exibição. A filha de Virgínia e Vincent, Rita Carelli, estará na sessão que exibirá o filme da mãe, Yãkwa: o Banquete dos Espíritos. Ela também é atriz, escritora e roteirista.

 

Segundo Marcela Borela, curadora da Mostra Cineastas na Fronteira e uma das diretoras artísticas do Festival, a ideia não é exibir os vídeos do VNA, mas sim o trabalho autoral desses criadores comprometidos com a causa social indígena. Sobre isso Marcela diz: “Nosso recorte é um recorte autoral e uma homenagem à mulher que foi Virgínia. Ela é uma protagonista da antropologia brasileira, criadora do Centro de Trabalho Indigenista (CTI), que é uma ONG criada em São Paulo na década de 70 e que revolucionou a etnografia sobre povos indígenas no Brasil. Ela é um grande nome da antropologia brasileira, mas ela também fez 5 filmes. Um deles é o que trazemos pra Mostra.”. Marcela ainda diz: “Todo mundo conhece o Vincent como criador do Vídeo nas Aldeias, mas pouquíssima gente, a não ser as pessoas da antropologia, conhecem a Virgínia. As pessoas de cinema não sabem quem foi a ela, ou que tipo de filme ela fez, ou qual foi a contribuição que ela deu para o cinema na fronteira”.

 

A realização do Fronteira Festival do Filme Documentário e Experimental é da Barroca Produções e o projeto conta com recursos do Fundo Estadual de Cultura de Goiás, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Goiás (Lei Goyazes) e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia.

 

Martírio (2016), Corumbiara (2009) e a presença de Marcelo Santos no Fronteira

 

As questões dos direitos indígenas no Brasil, mesmo após 30 anos das primeiras filmagens de Vincet Carelli na Amazônia, continuam em debate entre os governantes e a população do país. Disputas que envolvem terras, interesses financeiros e comerciais, existências culturais diversificadas e a necessidade do reconhecimento de uma dívida histórica. Um roteiro nada ficcional, que inclui cenas de violência, massacres, destruições e mortes, aos milhares. Por essa demanda represada é que Cineastas na Fronteira destaca a obra de cineastas que são precursores desta narrativa, e que geraram e espalharam conteúdos que registram e interferem na trajetória dos fatos.

 

Martírio (2016) é novo filme de Vincent Carelli, e conta sobre a luta dos Guarani-Kaiowá pela sobrevivência de sua gente e de sua cultura. O segundo de uma trilogia que remonta a luta do indigenista ao lado de sua parceira Virgínia Valadão, pelo uso político da imagem como uma forma de criação de provas para defesas de direitos dos povos originários, ou ainda, como uma maneira de manter viva a memória dessas culturas. Martírio é muito recente e importante. Inédito em Goiânia, é um trabalho muito esperado pelo público que acompanha o universo do cinema.

 

Corumbiara (2009) é sobre índios isolados na gleba de Corumbiara, no sul de Rondônia. O filme é de 2009 e também é destaque do Festival. A sessão que exibe esse trabalho de Vincent Carelli provocará um debate que inclui outro convidado, que é o Marcelo Santos. Ele foi chefe do Departamento de Índios Isolados da FUNAI na época em que o Vincent filmou Corumbiara no sul de Rondônia. Eles foram parceiros nesse trabalho.

 

Yãkwa: o Banquete dos Espíritos (1995) e a presença de Rita Carelli no Fronteira

 

Virginia passava grande parte do ano viajando de aldeia em aldeia. Foi uma mulher de ação que se envolveu profundamente com as populações com as quais teve contato, pensando os índios como agentes de seu próprio destino e guardiões de sua própria memória. Não hesitou em enfrentar poderosos latifundiários em defesa dos grupos indígenas e de seu direito a terra; a batalha por subvenção de projetos voltados para a melhoria de vida desses grupos foi uma constante ao longo de toda a sua trajetória marcada pela coragem, bom humor e generosidade. Seu vídeo mais conhecido é Yãkwa: o Banquete dos Espíritos que trata do ritual Yãkwa, realizado pelos grupo indígena Enawenê Nawê, que todo ano, durante sete meses, oferecem comida aos espíritos Yakairiti, dançam e cantam revivenciando alguns de seus mitos. Rita Carelli, filha de Vincent e Virgínia, que também é atriz, escritora e roteirista estará presente para exibição do filme de sua mãe, para um debate após a sessão.

 

 

 

 

SERVIÇO:

III Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

16 a 25 de março – Cine Ritz, Cine Cultura e Centro Cultural UFG

 

Mostra Cineastas na Fronteira: Vincent Carelli e Virgínia Valadão

 

18/03 – sábado – 17h – Cine Cultura

O Espírito da TV, Vincent Carelli (Brasil, 1990, 18’)

Yãkwá: O Banquete dos Espíritos, Virgínia Valadão (Brasil, 1995, 54’)

Debate após a sessão com Vincent Carelli e Rita Careli

(representando Virgínia Valadão, sua mãe, in memorian).

 

19/03 – domingo – 20h – Cine Ritz

Martírio, Vincent Carelli em co-direção com Ernesto de Carvalho e Tita (Brasil, 2016, 161’)

Debate após a sessão com Vincent Carelli

 

20/03 – segunda – 20h30 – Cine Ritz

Corumbiara, Vincent Carelli (Brasil, 2009, 117’)

Debate após a sessão com Vincent Carelli e Marcelo Santos (GO)

 

Ingressos:

ABERTURA – Entrada Franca

Demais Mostras e sessões: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia-entrada)

 

Mais informações pelo Facebook ou sites:

Fronteira: @fronteirafestival - http://fronteirafestival.com/

BIS: @bienalcinema - www.bis.art.br.

 

Assessoria de imprensa Fronteira: Ana Paula Mota / Nádia Junqueira

anapaulamota@gmail.com / njunqueiraribeiro@gmail.com

Telefones: Ana Paula Mota > (62) 99941 – 5464 (Whats App)

Nádia Junqueira > (61) 98281 – 0759 (Whats App)

fronteira.imprensa@gmail.com