Mostra em Trânsito - 2ª Edição

17/09/15

A Mostra em Trânsito é a ação do Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental que leva a experiência da exibição de filmes para lugares que consideramos estarem na fronteira, entendendo esses espaços como lócus de conflitos sociais e políticos, lugares sobre os quais o estado chega de maneira ineficiente e o capital e a concentração fundiária avançam. São eles principalmente, assentamentos agrários, sítios quilombolas, aldeias indígenas, periferias urbanas e rurais, entre outros lugares marginais. Territórios para o quais o Festival avança também para viver uma experiência de resistência juntos, através do cinema e da reflexão a partir dele.

A Mostra, nessa 2a edição, acontece em dois assentamento agrários do município de Crixás-GO (onde também ocorreu a 1a edição). Como novidade, os filmes serão exibidos  também na cidade de Crixás, que  não possui espaços dedicados a exibição cinematográfica - assim como a maioria das cidades do interior de Goiás.

A mostra é composta por 5 curtas-metragens nacionais independentes realizados entre 2014 e 2015, de novos diretores brasileiros e do média metragem goiano, Viva todos que prestaram a atenção, realizado com a Folia do Divino Espírito Santo de Crixás e que contará com a participação um dos diretores do filme Carlos Cipriano para conversar com o público depois da sessão.

Os curtas nacionais buscam dialogar com as realidades locais onde a mostra acontece através de obras como Ameaçados, de Julia Mariano, que discute a condição de trabalhadores sem-terra ameaçados de morte no sul do Pará. No filme, a diretora percorre acampamentos, assentamentos e cidades da região que é considerada a mais violenta do Brasil, em busca dos resquícios de uma história de massacres e perseguições no interior do país.

Em  Febre da Madeira, de Daniel Nolasco e Carranca, de Wallace Nogueira e Marcelo Matos de Oliveira,  o que está em jogo é universo fantasmagórico e mítico das populações tradicionais. Nos filmes esses universos se tornam possíveis imbricados na fabricação de uma imaginário visível através do cinema, que é antes de tudo a razão pela qual Georges Méliès usou o cinema como mágico. Em Carranca a lenda do nego d’água se faz realidade em um diálogo com o universo tradicional da produção artesanal de carrancas por uma família negra do sertão baiano. Em Febre da Madeira uma vaca é acometida por uma enfermidade misteriosa que a leva a morte.

Premiado em diversos festivais e selecionado para a Quinzena dos Realizadores em Cannes 2015, o curta Quintal, de André Novais, subverte todos os limites das convenções sociais e explora na relação mais afetiva entre os personagens, pai e mãe do diretor, uma liberdade para a encenação e criação do filme.  Na história um casal de idosos experimentam situações extraordinárias no quintal de casa, como secar a roupa na ventania a mais de mais 100km/h, entrar em uma grande portal vaginal e defender uma dissertação de mestrado sobre filmes pornôs americanos.

Por fim o curta Ensaio sobre minha mãe, de Jocimar Dias Jr. encerra essa leva de filmes livres e inventivos. No filme uma mulher – sua mãe - evangélica, empregada doméstica, infeliz no casamento, decide fugir de casa.  Mas antes disso, diante do espelho  demonstra toda sua sexualidade e feminilidade em um momento raro e belo de intimidade consigo mesma, uma espécie de presságio do que virá.

Mais do que eleger filmes que tenham temas relacionados com o universo do público, os filmes da Mostra em Trânsito querem chamar atenção para uma outra forma de produção audiovisual. Querem ao mesmo tempo provocar através do cinema uma reflexão sobre a imagem e seus efeitos, possibilitando o amplo acesso ao cinema e aproximando a produção audiovisual brasileira contemporânea de novos espectadores. A Mostra em Trânsito acontecerá ao ar livre nos assentamentos e na cidade e Crixás, e contará com debates sobre os filmes com os curadores da mostra após as sessões.  



Henrique Aguiar Borela

Rafael Castanheira Parrode

Curadores da Mostra em Trânsito