Fronteira Festival
Data do Fronteira Festival / date
PT | EN

Notícias


Longa-metragem "Tremor - É Sempre Guerra" vence IV Fronteira Festival

Publicado em 21/04/2018

Júris oficial, jovem e popular concederam prêmios a sete filmes de cinco países

O filme belga Tremor – É Sempre Guerra (Tremor – Es is immer Krieg), de Annik Leroy (Bélgica, 2017, 92 min), ganhou o prêmio de Melhor Filme em longa-metragem segundo o júri oficial do IV Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental. Babilônia (Babylon), de Keith Deligero (Filipinas, 2017, 20 min), recebeu o prêmio de Melhor Filme em curta-metragem. O longa Eu Sou o Rio, de Anne e Gabraz (Brasil, 2017, 78 min), e o curta Rosa, de Saif Alsaegh (EUA, 2018, 17 min), receberam o Prêmio Especial do Júri. E o curta Travessia, de Safira Moreira (Brasil, 2017, 5 min), foi contemplado com a Menção Honrosa do corpo formado pela professora e pesquisadora de cinema da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, Amaranta César; pelo cineasta e preservador audiovisual canadense Stephen Broomer; e pelo conservador-chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Hernani Heffner. 

O IV Fronteira foi realizado de 12 a 21 de abril pela Barroca Filmes, com recursos do Fundo Nacional da Cultura, apresentação da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, Seduce e Governo de Goiás, e patrocínio da rede Cinemas Lumière.

Melhores filmes segundo júri jovem – O festival contou ainda com participação de um júri jovem composto por quatro estudantes de Cinema e Audiovisual do Instituto Federal Goiano (Katsuya Harada e Marcos Paulo) e da Universidade Estadual de Goiás (Bárbara Santana e Bruna Chamelet). Os estudantes concederam os prêmios de Melhor Filme ao longa Era Uma Vez Brasília, de Adirley Queirós (Brasil, 2017, 99 min), e ao curta Babilônia (Babylon), de Keith Deligero (Filipinas, 2017, 20 min).

Escolha do público – O público presente ao IV Fronteira também premiou os melhores curta e longa-metragem do festival. O longa Era Uma Vez Brasília, de Adirley Queirós (Brasil, 2017, 99 min), e o curta Chama (Polte), de Sami Van Ingen (Finlândia, 2018, 15 min), foram considerados os melhores filmes desta edição, segundo o júri popular.

PREMIAÇÃO

Competitiva Internacional de Longa-metragem

- Melhor Filme - Júri Oficial

Tremor – É Sempre Guerra (Tremor – Es is immer Krieg), Annik Leroy (Bélgica, 2017, 92 min)

- Prêmio Especial do Júri - Júri Oficial

Eu Sou o Rio, Anne e Gabraz (Brasil, 2017, 78 min)

- Melhor Filme - Júri Jovem

Era Uma Vez Brasília, Adirley Queirós (Brasil, 2017, 99 min) 

- Melhor Filme - Júri Popular

Era Uma Vez Brasília, Adirley Queirós (Brasil, 2017, 99 min) 


Competitiva Internacional de Curta-metragem

- Melhor Filme - Júri Oficial

Babilônia (Babylon), Keith Deligero (Filipinas, 2017, 20 min)

- Prêmio Especial do Júri - Júri Oficial

Rosa, Saif Alsaegh (EUA, 2018, 17 min)

- Menção Honrosa - Júri Oficial

Travessia, Safira Moreira (Brasil, 2017, 5 min)

- Melhor Filme - Júri Jovem

Babilônia (Babylon), Keith Deligero (Filipinas, 2017, 20 min)

- Melhor Filme - Júri Popular

Chama (Polte), Sami Van Ingen (Finlândia, 2018, 15 min)