Fronteira Festival
Data do Fronteira Festival / date
PT | EN

Notícias


165708 e Djamilia abrem IV Fronteira Festival

Publicado em 11/04/2018

Mostras competitivas e não competitivas, debates, mesa-redonda, residência crítica e masterclasses completam a intensa programação do festival, de 12 a 21 de abril, no Cinema Lumière do Banana Shopping

Os filmes 165708, curta de Josephine Massarella (Canadá, 2017), e Djamilia, da diretora francesa Aminatou Echard (França, 2018, 84’), abrem o IV Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental, na noite de 12 de abril, às 20 horas, no Cinema Lumière do Banana Shopping, no Centro de Goiânia. Trata-se da exibição de estreia de Djamilia na América Latina, com a presença da diretora Aminatou Echard. Conhecida por filmar a vida das mulheres na América Latina e no Oriente Médio, a cineasta francesa comentará os filmes após a sessão.

O festival, que acontece entre os dias 12 e 21 de abril de 2018, é realizado pela Barroca Filmes, com recursos do Fundo Nacional da Cultura, apresentação da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, Seduce e Governo de Goiás, e patrocínio da rede Cinemas Lumière. Os ingressos podem ser adquiridos a R$8 inteira, R$ 4 meia e R$ 70 o passaporte para todas as sessões.

165708 – Filmado inteiramente em 16mm preto e branco e usando um único fotograma, 165708 emprega técnicas de câmera e manipulação química de filme processado para produzir um estudo eidético da elasticidade temporal. As técnicas usadas por Josephine Massarella incluem cintilação, time-lapse, light painting, stop motion, tingimento e tonificação. Combinados com ciclos alternados de exposição dos fotogramas, esses métodos impelem o trabalho com um magnetismo rítmico, aparente no tempo e na estética das imagens. Uma partitura original e dinâmica composta por Graham Stewart acompanha o filme, recém-premiado como melhor curta-metragem no Ann Arbor Film Festival, o mais antigo e importante festival de cinema independente e de vanguarda dos Estados Unidos. 

Djamilia – Gravado no Quirguistão, o filme é uma busca por Jamila, famosa heroína do clássico romance de Chingiz Aitmatov sobre uma jovem mulher que se rebela contra as tradições de sua sociedade. A partir dessa história, Aminatou Echard encontra mulheres que, ao falarem sobre Jamila, revelam segredos e desejos de suas vidas privadas, regras em que se encaixam e suas ideias de liberdade. Atualmente em competição no Cinéma du Réel, o filme recentemente esteve na seleção da prestigiada Seção Fórum no Festival de Berlim.

As obras cinematográficas da sessão de abertura integram o conjunto de 98 filmes de 26 países distribuídos em mostras internacionais competitivas e mostras especiais não competitivas. Além destas, o IV Fronteira promove ações de formação, como debates, masterclasses, mesa-redonda e a quarta edição da Estado Crítico – residência de crítica cinematográfica.