Fronteira Festival
Data do Fronteira Festival / date
PT | EN

Notícias


ATUALIDADE ROSSELLINI - MOSTRA RETROSPECTIVA

Publicado em 08/03/2018

"Eu não quero fazer filmes bonitos, eu quero fazer filmes úteis" (Roberto Rossellini)

A quarta edição do Fronteira - Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental tem a honra de dedicar sua Mostra Retrospectiva  a um dos maiores nomes do cinema moderno. A Mostra Atualidade Rossellini apresenta sete filmes do cineasta que foi o precursor do Neorrealismo italiano e que redirecionou os debates sobre o próprio cinema e os limites da produção cinematográfica.

A curadoria é do pesquisador italiano Adriano Aprà (78 anos), que dedicou grande parte da vida a investigar a obra do diretor. Na ocasião, além de ter a oportunidade de assistir a cópias restauradas de filmes importantes da cinematografia do cineasta, o público contará também com a presença do próprio Aprà, que estará em Goiânia durante os dias do festival para sessões comentadas e uma Master Class, especialmente dedicada a discutir a obra de Rossellini.

Compõem a Retrospectiva Roberto Rossellini filmes como Roma, Cidade Aberta (1945), considerado o marco inicial do Neorrealismo italiano e uma das criações mais importantes da história do cinema, que mostra a cidade de Roma entre 1943 e 1944, ocupada pelos nazistas, com uma população de comunistas e católicos que se unem para combater os alemães e as tropas fascistas; Paisá (1946), que narra encontros entre seres humanos e ambientes devastados, remontando cenas de abandono e empatia em uma Itália tomada pelas tropas americanas de libertação; e completando a trilogia de guerra de Rossellini,  Alemanha, Ano Zero (1948), talvez o mais contundente filme sobre o pós-guerra e a crise econômica e moral na Alemanha, contada através do drama de uma criança de 12 anos, que sustenta o pai cometendo pequenos crimes.

 Também compõe a Retrospectiva as obras Stromboli (1950) e O Medo (1954). Em Stromboli, vemos a primeira atuação da atriz Ingrid Bergman para um filme de Rossellini, com o qual casou-se no mesmo ano. Uma obra caracterizada por sua beleza natural e por uma história ligada ao amor, às crenças, devoções e resiliência. Já o segundo, em contraponto ao primeiro filme, Rossellini cria dois personagens espelhados na sua própria vida e de Ingrid.

 Para completar esta que é talvez uma das maiores retrospectivas do autor italiano no Brasil, a mostra exibirá ainda INDIA, MATRI BUHMI (1959), documentário que registra as impressões de Rossellini sobre a Índia; Descartes (1974), uma cinebiografia do pensador René Descartes, que é o quarto longa-metragem que Rossellini filmou para a TV na década de 70; e ROSSELLINI VISTO DI ROSSELLINI (1993), filme dirigido por Adriano Aprá sobre o diretor italiano.

 FILMES QUE SERÃO EXIBIDOS NA “ATUALIDADE ROSSELLINI - MOSTRA RETROSPECTIVA”:

ROMA, CIDADE ABERTA | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1945, 100 min.

PAISÁ | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1946, 126 min.

ALEMANHA, ANO ZERO | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1948, 75 min.

STROMBOLI | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1950, 107 min.

O MEDO | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1954, 84 min.

INDIA, MATRI BUHMI | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1959, 95 min.

DESCARTES | Direção: Roberto Rossellini, Itália, 1974, 162 min.

ROSSELLINI VISTO DI ROSSELLINI | Direção: Adriano Aprá, Itália, 1992, 62 min.